Estudo comparado dos padrões de concordância em variedades africanas, brasileiras e europeias

Apresentação

Projeto de Cooperação Internacional Brasil-Portugal

(CAPES/GRICES no 217/08)

Período: março de 2008 – fevereiro de 2011

Coordenadores:

Silvia Rodrigues Vieira (Brasil) - Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

Maria Antónia Ramos Coelho da Mota (Portugal) - Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

 

Projeto ALFAL no 21

Período: março de 2011 em diante

Coordenadores:

Silvia Rodrigues Vieira (Brasil) - Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

Silvia Figueiredo Brandão (Brasil) – Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

 

 

De caráter internacional, o Projeto, em sua primeira fase, integrado ao Programa de cooperação internacional da CAPES-ICTII, vinculou-se, no Brasil, ao Programa de pós-graduação em Letras Vernáculas da Faculdade de Letras da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), mais concretamente à linha de pesquisa Língua e sociedade: variação e mudança, e, em Portugal, ao Grupo Fontes, conhecimento e modelização em Lingüística, do Centro de Lingüística da Universidade de Lisboa (CLUL). Passando a integrar, em 2011, a lista dos projetos da ALFAL (Associação Internacional de Lingüística e Filologia da América Latina), o Projeto, além de dar continuidade ao produtivo intercâmbio entre a UFRJ e a Universidade de Lisboa, conta com pesquisadores de diversas universidades do Brasil e fora dele, que, desde o encontro da Associação em 2011, realizado em Alcalá de Henares/Espanha, somam interesses no tratamento da concordância e temas afins.

Ao visar à comparação entre variedades do Português usadas em três continentes (África, Brasil e Europa), no que diz respeito a uma questão central das gramáticas – a concordância morfossintática –, a equipe objetiva estabelecer padrões variantes de concordância, associando-os a variedades e subvariedades (desde o standard até outras variedades dialetais), o que contribui para determinar diferentes normas/gramáticas em co-existência e em concorrência, em cada espaço geográfico onde se fala português.

Além de ter construído um banco de dados atuais (cf. corpus) do Português do Brasil (PB) Português Europeu (PE), o Projeto realiza análises do referido fenômeno com base em outras amostras do Português, dentre as quais se destacam as referentes ao Português falado no continente africano, como, por exemplo, o corpus VARPOR (2008) – Variedades Africanas do Português, do Centro de Linguística da Universidade de Lisboa. Comparando o PB com o PE e com variedades africanas do português (PA), poder-se-á construir um quadro comparativo global que permita:

(i)      traçar, do ponto de vista geográfico, intercontinental, padrões variáveis de concordância (marcando a diferenciação e os continua lingüísticos);

(ii)    determinar tendências de mudança lingüística em curso ou que se anunciam, através da análise de cada variedade e da comparação entre variedades;

(iii)   testar hipóteses sobre a origem das diferenças observadas, tendo em conta a história do português; e

(iv)  oferecer explicações acerca do conjunto dos fenômenos observados, à luz de variado aporte teórico-metodológico, considerando os princípios subjacentes a todas as variedades e os parâmetros específicos detectados em cada variedade.

 
Joomla extensions by Siteground Hosting
Estudo comparado dos padrões de concordância em variedades africanas, brasileiras e europeias

Estudo comparado dos padrões de concordância em variedades africanas, brasileiras e europeias

Apresentação

Projeto de Cooperação Internacional Brasil-Portugal

(CAPES/GRICES no 217/08)

Período: março de 2008 – fevereiro de 2011

Coordenadores:

Silvia Rodrigues Vieira (Brasil) - Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

Maria Antónia Ramos Coelho da Mota (Portugal) - Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

 

Projeto ALFAL no 21

Período: março de 2011 em diante

Coordenadores:

Silvia Rodrigues Vieira (Brasil) - Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

Silvia Figueiredo Brandão (Brasil) – Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

 

 

De caráter internacional, o Projeto, em sua primeira fase, integrado ao Programa de cooperação internacional da CAPES-ICTII, vinculou-se, no Brasil, ao Programa de pós-graduação em Letras Vernáculas da Faculdade de Letras da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), mais concretamente à linha de pesquisa Língua e sociedade: variação e mudança, e, em Portugal, ao Grupo Fontes, conhecimento e modelização em Lingüística, do Centro de Lingüística da Universidade de Lisboa (CLUL). Passando a integrar, em 2011, a lista dos projetos da ALFAL (Associação Internacional de Lingüística e Filologia da América Latina), o Projeto, além de dar continuidade ao produtivo intercâmbio entre a UFRJ e a Universidade de Lisboa, conta com pesquisadores de diversas universidades do Brasil e fora dele, que, desde o encontro da Associação em 2011, realizado em Alcalá de Henares/Espanha, somam interesses no tratamento da concordância e temas afins.

Ao visar à comparação entre variedades do Português usadas em três continentes (África, Brasil e Europa), no que diz respeito a uma questão central das gramáticas – a concordância morfossintática –, a equipe objetiva estabelecer padrões variantes de concordância, associando-os a variedades e subvariedades (desde o standard até outras variedades dialetais), o que contribui para determinar diferentes normas/gramáticas em co-existência e em concorrência, em cada espaço geográfico onde se fala português.

Além de ter construído um banco de dados atuais (cf. corpus) do Português do Brasil (PB) Português Europeu (PE), o Projeto realiza análises do referido fenômeno com base em outras amostras do Português, dentre as quais se destacam as referentes ao Português falado no continente africano, como, por exemplo, o corpus VARPOR (2008) – Variedades Africanas do Português, do Centro de Linguística da Universidade de Lisboa. Comparando o PB com o PE e com variedades africanas do português (PA), poder-se-á construir um quadro comparativo global que permita:

(i)      traçar, do ponto de vista geográfico, intercontinental, padrões variáveis de concordância (marcando a diferenciação e os continua lingüísticos);

(ii)    determinar tendências de mudança lingüística em curso ou que se anunciam, através da análise de cada variedade e da comparação entre variedades;

(iii)   testar hipóteses sobre a origem das diferenças observadas, tendo em conta a história do português; e

(iv)  oferecer explicações acerca do conjunto dos fenômenos observados, à luz de variado aporte teórico-metodológico, considerando os princípios subjacentes a todas as variedades e os parâmetros específicos detectados em cada variedade.